Como advogar durante e após a Covid-19?

Sabe aquele mundo de alguns meses atrás? Aquele antes do coronavírus? Bem, ele não existe mais e é melhor começarmos a nos acostumar com isso.

A pandemia da Covid-19, além dos graves danos à saúde e à vida, paralisou a economia, afetou cadeias globais de suprimentos, fechou fronteiras, derrubou bolsas e cancelou eventos no mundo todo.

Com isso, elevaram-se os temores de uma nova recessão global. Para vários economistas e observadores, o choque econômico já é maior que a crise financeira de 2008.

Como você está lidando com essa crise causada pelo novo coronavírus?

Talvez o medo tentou tomar conta de você… o que é completamente normal. Noutro dia, acordou com vontade de transformar o mundo.

Agora, faça esse simples exercício: tente lembrar do quão diferente era sua vida há tão pouco tempo. Lembre-se de como não havia nada atrapalhando a sua rotina ou seus planos.

Tudo era completamente normal no velho e conhecido cotidiano.

Então, pense em como as coisas estão agora. Em como o simples ato de ir à rua se tornou não apenas uma burocracia, como também uma verdadeira ameaça à sua saúde.

Tudo mudou tanto e tão rápido!

Com essa reflexão, quero chamar sua atenção para como a nossa realidade foi drástica e irreversivelmente transformada pela pandemia que vivemos agora.

Depois de as medidas de distanciamento social acabarem e pudermos sair às ruas, teremos um mundo diferente. Um mundo em que teremos novas preocupações, novos medos e desafios.

Portanto, considerando a situação pela qual estamos passando, é natural que isso aconteça. 

Reconhecer a inevitabilidade desse processo não é perder as esperanças e desacreditar que as coisas voltarão ao normal, pois, apesar de não sabermos quando, elas vão. É sobre entender que o conceito de normalidade no pós-coronavírus já não terá o mesmo significado.

Renato Russo, cantor, compositor e poeta brasileiro, uma vez disse em uma de suas canções: 

“o futuro não é mais como era antigamente”.

Então, se há um momento oportuno à aplicação desse verso, certamente é esse em que vivemos hoje.

Depois de tudo o que aconteceu — e ainda está acontecendo — o nosso futuro, verdadeiramente não é mais o mesmo. 

As perspectivas, os planos e sonhos que tínhamos há algumas semanas já não cabem mais, agora.

Precisamos entender isso, até para que se desperte em nós o senso de urgência por se reinventar.

Nesse sentido, os seus clientes, também, não serão mais os mesmos. O padrão de consumo, as necessidades e a forma com que ele se relaciona com você, serão bastante diferentes.

Afinal, você já começou a reorganizar o seu negócio jurídico e a sua forma de advogar?

É evidente que há uma tendência irresistível em procurarmos padrões em meio ao caos, porém, muitos fatos acontecem de maneira aleatória.

Entretanto, na sua carreira e no seu escritório as decisões não podem acontecer de formas aleatórias.

É provável que você já esteja cansado de ouvir sobre a importância de se fazer bons planejamentos, definir procedimentos, instituir metas, etc. Ou, diferente disso, você já tenha esses planos bem definidos.

Agora, já sabemos que além de evidenciar problemas estruturais, essa crise mudará os consumidores de maneira definitiva (inclusive, você!).

Então, esteja preparado para isso!

Por que você precisa se reinventar?

Não é a primeira vez que humanidade enfrenta uma epidemia e que a quarentena é uma medida para reduzir as contaminações: peste-negra, gripe espanhola, malária, H1N1… 

Foi em situações assim que as pessoas fizeram coisas grandiosas para si mesmos e para a humanidade. 

Hoje, você está sendo obrigado a ficar em casa, mas a forma como você vai ficar em casa poderá ditar o seu futuro.

Se você escolher apenas se trancar e esperar o fim da pandemia, sua vida ficará estagnada quando tudo isso passar; e o golpe duro poderá vir depois.

Porém, se você tomar decisões certas, mesmo isolado enquanto o vírus transita lá fora, poderá ter um futuro brilhante.

Como advogar em meio à crise causada pelo novo coronavírus?

O coronavírus está forçando o planeta a abraçar a transformação digital.

Já parou para pensar o quanto todos nós mudados os nossos hábitos de consumo, em apenas 15 dias?

Pois é, o cliente jurídico também terá mudado após esse período.

Em outro artigo publicado aqui no blog, inicio com a seguinte reflexão:

“Quem ainda não estava pronto para se transformar digitalmente, está se vendo obrigado a fazer isso à força (e às pressas)”.

Em poucas semanas, vimos diversos exemplos de como o novo coronavírus está forçando o mundo a se reinventar.

Inclusive, o Jusbrasil descreveu as 10 habilidades que você vai precisar durante e após a pandemia.

Não são apenas as novas preocupações, mas a ansiedade que temos criado exigirá que tudo aconteça mais rápido.

Reuniões presenciais e intermináveis? Esquece!

Do mesmo modo que você tem mudado, o perfil dos seus clientes também mudará.

Além disso, mesmo àqueles que não tinham facilidade com as tecnologias, o seu novo cliente vai preferir a comunicação pelas ferramentas digitais.

Afinal, por que não estimular essas novas formas de contato? Elas são mais ágeis e têm menos custos.

Contudo, é evidente que existem diversos perfis de clientes.

Seu olhar não deve se voltar apenas para o novo perfil, mas é importante se atentar às demais mudanças nos perfis de consumo de todos os clientes.

Novos tempos exigem novas atitudes!

Com certeza, não serão as mesmas atitudes que levarão sua carreira e o seu escritório para um patamar diferente do atual.

Author avatar
Guilherme Peara
Advogado especialista em Marketing

Post a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *